segunda-feira, 4 de março de 2013

Livros!

Olá! Continuando com o tema Livros, e trago mais um que me garantiu boas risadas!


2. O Diário de Bridget Jones (Helen Fielding; Editora Record- 1996)

   Bridget é uma mulher solteira, de 30 anos, que mora sozinha... mas tem que aguentar a mãe doida, palpitando na vida dela o tempo todo. É apaixonada pelo chefe, que se mostra um cafa na maior parte da história, e ainda tem problemas com o famoso 'efeito sanfona', engorda e emagrece! E ela narra tudo isso em um diário, as "angústias" de ser solteira aos 30, quando a família inteira dela quer desesperadamente que aconteça um casamento.
   Apesar das indas e vindas da história ( o que na minha opinião torna um pouco cansativo), é bem engraçada, Bridget tem um humor incrível! Tive problemas ao ler este livro no metrô, por exemplo... pois em alguns momentos, queria soltar a maior gargalhada e não podia! rsrsrs
   Vale a pena ler sim, eu curti!

  • Trecho para ter vontade de ler ( ou não rs)
(Bridget escreve após um encontro com um cara de 22 anos)

"Terça-feira, 19 de Setembro. 56,2 kg (m.b), 3 unidades alcoólicas (m.b), 0 cigarro (fico com vergonha de fumar na frente de pirralhos saudáveis)...

... Meia-Noite. Sinto-me como a Abominável Mulher das Neves. Fazia tanto tempo que não saía com um homem que fiquei toda prosa, não resisti e contei para o motorista do táxi sobre o "meu namorado": estava indo para a casa do "meu namorado", que tinha preparado um jantar para mim. Mas, infelizmente, quando cheguei no endereço que ele me deu - Rua Malden, 4- tinha uma mercearia no lugar.
  -Quer usar meu telefone moça?- perguntou o motorista, com uma voz cansada.
Claro que eu não sabia o telefone do Gav, então tive de fingir que estava ligando e dizer que estava ocupado, depois liguei para o Tom e descobri o endereço do Gav (...)
 (...) Acabei chegando lá me sentindo bem menos segura(...) Gav tinha feito um espaguete à bolonhesa. O problema foi quando acabou a agitação de preparar o jantar e tudo se concentrou na conversa. Acabamos não sei porque falando na Princesa Diana! (...)
   De todo jeito, continuamos a conversa até que Gav, na maior excitação (esse é, aliás, uma das coisas ótimas de ter um caso com rapazes de 22 anos), começou a me beijar e ao mesmo tempo tentava abrir minha roupa. Acabou coseguindo enfiar a mão na minha barriga e aí constatou, o que foi muito humilhante:
  - Hummmmmm. Você é toda fofa.
Depois dessa, não consegui continuar. Ai, Deus. Não é fácil. Estou muito velha e vou ter que desistir, dar aula de religião numa escola de moças e ir morar com o professor de hóquei."

Beijos! Bah ;)

domingo, 3 de março de 2013

A mal amada

Você pensa que é coisa de novela. Aquela típica mulher de novela, que faz de tudo para ferrar a mocinha. Quando pensa que não, você é a mocinha. E a mal amada já entrou na sua vida, sem pedir licença.
 O mais engraçado é que a mal amada é linda, tem uma vida linda, um emprego lindo, mas ela não se contenta com o que tem... ela quer mais. Ela quer a sua vida.
  Sim, a mal amada não suporta ver como você brilha, como você fica feliz com coisas simples, como as pessoas querem ficar perto de você. Ela quer a sua vida, roubar seu brilho, seus amigos e se bobear, ela quer o seu namorado também. Claro... como aquele cara te busca no trabalho com um sorrisão, te manda mensagens fofas, é carinhoso, sabe cozinhar e te trata como uma rainha? O que vc tem que ela não tem? Então ela também quer... ela quer ser você.
  Poha (não achei outra palavra que se encaixasse melhor), tanta coisa pra fazer nesse mundão, tanta coisa pra se preocupar e ela escolheu sentir inveja de você. Não tem outra palavra, é inveja mesmo, pois ela não se contenta em ser quem é, ela quer ter o seu jeito de ser, seu jeito de olhar, quer ter o som da sua risada... puts, sua risada. Quando ela escuta, ela chega a encolher. Dá pra perceber o jeito que vc consegue incomodar, ela fica atordoada.
   Só quem teve ou tem uma mal amada na vida, sabe como é. Esse papo de "sua inveja é meu ibope", pelo menos comigo não funciona, se é pra ter ibope desse jeito, sinceramente, eu prefiro não ter.
  Não tem coisa mais chata do que saber que alguém não consegue enxergar a beleza da própria vida, e por isso, quer tudo o que você tem.
O jeito é seguir em frente. Sim, é difícil, mas fingir que nada acontece, as vezes é a melhor saída, até que ela arranje coisa melhor pra fazer. Não ligue, não sofra.
  Como diz uma frase que gosto muito: "Abstrai o que te incomoda. Ignore quem não te acrescenta."

sábado, 2 de março de 2013

Livros!


Todos que me conhecem, sabem que sou uma leitora voraz. Leio muito, e sou sem preconceitos... vou de clássicos de Shakespeare, à auto-ajuda do Cury. Os livros são minha válvula de escape, assim como a música... mas isso fica para outra postagem. Bem, não sou crítica da literatura, e meu conhecimento é pequeno perto dos grandes nomes que existem nesse meio. Mas quero compartilhar o que li ultimamente, e acredite... é bem diversificado!


1. Coisas da Vida- Crônicas (Martha Medeiros; editora LePM- 2012)

   Martha Medeiros é minha escritora favorita, sem dúvidas. Li um texto dela na internet, e foi "amor a primeira leitura". Procurei pelos livros em uma livraria,e me encantei com este : Coisas da Vida. São crônicas em que a autora descreve fatos do dia-a-dia, compartilha sua opinião sem pudores, do tipo "falo mesmo". Me identifico demais com o jeito que a Martha se expressa, muitas vezes tudo o que eu queria dizer ( este é outro título de um livro dela, que eu postarei em outro dia) e não encontro palavras. É uma perfeita organização de idéias, crônicas que te fazem pensar na vida, no seu ponto de vista, algumas engraçadas, outras tristes... enfim, recomendo essa leitura!

  • Trecho para ter vontade de ler ( ou esquecer de vez, sei lá rs)

"Há o certo, o errado e aquilo que nos dá medo, que nos atrai, que nos sufoca, que nos entorpece. O certo é ser magro, bonito, rico e educado, o errado é ser gordo feio, pobre e analfabeto, e o resto nada tem a ver com esses reducionismos: é a nossa fome por idéias novas, é nosso rosto que se transforma com o tempo, são nossas cicatrizes de estimação, nossos erros e ilusões.
   Todo o resto é muito vasto. É nossa porra-louquice, nossa ausência de certezas, nossos silêncios inquisidores, a pureza e a inocência que se mantém vivas dentro de nós mas que ninguém percebe, só porque crescemos (...)
   (...) Todo o resto é tudo que ninguém aplaude e ninguém vaia, porque ninguém vê." ( Todo o Resto- Martha Medeiros)
 
 
 
Até a próxima postagem, com mais livros, mais utilidades (ou futilidades rs)....
 
Beijinhos!


quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Páginas Amareladas.

 
São diários antigos. Fatos de uma garota que não existe mais, mas que ainda mora naquelas páginas amareladas e cheias de adesivos coloridos. Quantas pessoas passaram por sua vida, quantas memórias, lágrimas, e sofrimentos por quem simplesmente não compartilhava do mesmo "amor eterno" que ela. Como doía um telefone desligado na cara, ou um sms não respondido. Como ardia no coração daquela menina frases absurdas como " Fulana é mais mulher do que você", ou "Deixa de ser criança e fale algo que se aproveite". E ela escutava calada, e ia remoendo aquelas frases, pensando em tudo o que deveria responder e não respondia... e se ele tivesse razão?  E se jamais encontrasse alguém que pudesse suportar seu jeitinho de menina, seu sorriso bobo, seu choro em um filme romântico? Afinal, como ele mesmo dizia, ninguem suportaria tanto "açucar" assim... só ele faria essa "caridade". A família avisou. As amigas também. Mas o desejo de VIVER partiu dela, num sábado de manhã, quando ela leu mais uma vez as páginas de uma história triste que ela mesmo escrevera, mas que poderia e deveria ter o final feliz. Olhou-se no espelho e viu que o "sorriso bobo" era lindo, seu jeitinho de menina era encantador, e que alguem nesse mundão enorme,com certeza, esperava por um pouco de açucar na vida. O "Não te quero mais, tchau." lhe deu a sensação mais marcante da vida: de decidir seu caminho, seu destino, de ser feliz. E hoje, lendo as páginas amareladas desses diários, ela percebe que as vezes as pessoas passam por nossas vidas, não para aprender com a gente, mas para que possamos aprender com elas... e ela aprendeu que merecia ser bem tratada, ser amada.
   E pra quem mais interessar: a menina cresceu. E descobriu que existe muito cara nesse mundo que troca o gosto amargo de uma cerveja, por uma boa dose de açucar.

(byBahferreira)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ironias e Síndromes do Pânico...


  Eles sabem que jamais poderão ficar juntos. Mas um cruzou o caminho do outro de uma maneira inesperada... Todos comentam, todos olham, todos dizem que eles se beijam por olhares. Os dois? Nunca confirmam nada. O silêncio representa um sentimento que nenhum dos dois entendem direito, é uma vontade de ficar do lado, de fazer carinho, de abraçar, de olhar nos olhos por horas e horas. Mas eles tem consciência de que isso não vai acontecer, são vidas diferentes, existem pessoas envolvidas, corações inocentes que não merecem ser machucados.
 Que ironia da vida! Encontrar uma pessoa assim que não tem nada a ver com você, mas que te faz sentir viva, mãos suando, coração acelerado, vertigem, e todos esses sintomas que, analizados por um profissional, seriam de Sindrome do Pânico... Mas não, é apenas um corpo reconhecendo a delícia de estar vivo! E vai dizer que não é um verdadeiro pânico ficar frente a frente com um olhar tão encantador, mas que jamais será seu?
  E assim segue a vida, o silêncio sempre acompanhando os dois, alguns olhares rápidos, sorrisos tímidos, mas um carinho existente e indestrutível, que cresce a cada dia.

(byBahferreira)

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Enfim... RESPIRANDO!

Essas férias vieram em uma época realmente maravilhosa. Pela primeira vez, em muito tempo, vou redescobrindo a beleza que é você pensar somente em vc, sem interferência das pessoas ao seu redor. Que maravilhoso quando conseguimos satisfazer nossas vontades, sem que o TEMPO fique gritando o tempo todo no seu ouvido!
 Descobrir o que te faz bem, o que te faz feliz... preparar aquele almoço que a tempos vc nao fazia, voltar a dançar, sair, rir, beijar bastante... Deveria fazer parte dos nossos dias sempre, não é mesmo?
Aos poucos , vou descobrindo como encaixar esses pequenos prazeres da vida nos meus dias tão corridos, nessa cidade louca que não para nunca. Afinal, estamos nesse mundo para viver plenamente e curtir!

;)